Avanti Marketing

blog

Google Analytics 4: o que mudou?

O Google Analytics 4 (GA4) passou a valer desde o dia 1º de julho, substituindo o Google Analytics Universal. Ele apresenta várias diferenças e vantagens em relação à antiga versão, tendo sido desenvolvido devido a algumas mudanças legais e para maior controle das autoridades sobre o tráfego na web.

Portanto, se você tem um site ou app mobile, precisa entender o que mudou e como utilizar da melhor maneira o GA4. Continue a leitura deste artigo e veja as principais mudanças, como configurá-lo e uma dica extra importante!

O que é o Google Analytics 4?

O GA4 é uma versão atualizada da ferramenta de análise de dados do Google, também chamada por eles de propriedade, que representa “um conjunto de relatórios e dados do Google Analytics associado a um ou mais sites e/ou apps.”

Diferente do Google Analytics Universal, ele tem como foco a privacidade de dados, passando a coletar dados de forma diferente, tudo de acordo com as novas exigências da lei em relação à proteção de dados dos usuários (como a GDPR) e o fim dos cookies de terceiros em navegadores.

Agora, ele passa a coletar dados orientado por Inteligência Artificial (IA), com relatórios mais aprimorados e flexíveis. De acordo com o próprio Google, o GA4 apresenta:

  • Coleta dados de sites e apps para mostrar mais informações sobre a jornada do cliente.
  • Usa dados com base em eventos em vez de sessões.
  • Inclui controles de privacidade, como medição sem cookies, modelagem comportamental e estimativa de conversão.
  • Oferece recursos preditivos que dão orientações sem modelos complexos.
  • Faz integrações diretas com plataformas de mídia, ajudando a promover ações no seu site ou app. 

São muitas novidades, mas é preciso se atentar às principais diferenças em relação ao Google Analytics Universal.

O que mudou?

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre o GA4, vamos entender as principais mudanças?

Relatórios

A definição dos reports no GA4 ficou mais simples, facilitando e tornando ainda melhor a personalização de relatórios.

Agora, as métricas de engajamento estão diferentes, além da forma como são exibidas para o usuário. O já conhecido menu à esquerda agora apresenta uma quantidade de métricas reduzidas, permitindo a escolha de qual KPI é mais relevante para você.

É possível também controlar as categorias de dados, agregando por exemplo o Search Console.

Taxa de rejeição

Na versão Universal do Analytics, a taxa de rejeição era apontada sempre que um usuário entrasse no site e permanecesse 0 segundos. Agora, com o GA4, se a sessão dura mais que 10 segundos sem interação, entendesse como uma medida da taxa de rejeição.

O que isso traz de positivo? Apresenta uma visão mais realista do comportamento de um usuário real, diminuindo as chances da taxa ser confundida com um bot entrando no site, por exemplo.

Integração com Google Ads

Para que seja possível analisar e otimizar a performance das campanhas pagas, agora é possível integrar o Google Ads ao GA4 e assim compreender mais sobre o tráfego, caminhos do usuário dentro do site até fechar a compra e várias outras análises.

Eventos

O modelo que antes era baseado em hits no Universal, que no caso, considerava cada interação do usuário como um Hit diferente, agora passa a ser um único evento. Ou seja, o  conjunto de ações, como cliques, rolagens e pesquisa, são considerados um evento. Alguns deles são coletados automaticamente, mas para a maioria, é preciso configurar qual tipo de evento você deseja acompanhar.

Usuários

No GA4, sempre que um usuário acessa o seu site ou app, é gerado um ID que acompanha todo o seu acesso, independentemente de estar utilizando um computador ou celular. Ou seja, passa a ser considerado um usuário e duas sessões.

Como configurar o GA4?

Configurar o GA4 da forma correta garante que você consiga dados e insights relevantes para as suas estratégias. Confira alguns passos importantes:

  1. Configure sua conta no Google Analytics 4;
  2. Defina quais ações deseja metrificar e quais é preciso personalizar de acordo com as necessidades do seu negócio, através dos eventos no GA4;
  3. Instale a tag para coletar dados;
  4. Vincule a sua propriedade ao Google Ads;
  5. Defina seu público-alvo para as campanhas

Importante saber

É importante saber que o Google Analytics Universal parou de registrar novos hits desde o dia 1º de julho. Ainda é possível acessar todos os seus dados anteriores coletados na propriedade, mas atenção, por um período de apenas seis meses.

Por isso, faça o quanto antes a exportação dos seus relatórios e não perca esses dados tão importantes.

Quer ver seus cliques convertendo em vendas, baseado em análises aprofundadas e com profissionais qualificados para te auxiliar? Conheça as nossas soluções.

Leia também:

plugins premium WordPress